Ser Curitibano É

Atualizado: 29 de mar.

Achar que não tem sotaque nenhum;

Achar que quem não é daqui sempre joga lixo no chão;

Achar que tudo em Curitiba é melhor do que em outras cidades;

Andar com guarda-chuva embaixo das marquises no dia de chuva;

Andar com o bolso cheio de papéis de balas até encontrar uma lixeira;

Andar sempre pelos cantos da rua XV para evitar os palhaços;


Beber gasosa de gengibirra:

Benzer o carro na igreja dos capuchinhos;

Buzinar pro motorista da frente no mesmo instante que o sinal verde abre;


Caminhar no parque Barigui;

Chamar as mulheres do "Estar" de periquita por causa do uniforme verde.

Chamar garotinhos na rua de "piá";

Chamar o povo do interior paranaense de "pé-vermelho";

Chamar o semáforo de sinaleiro;

Chamar os amigos pelo sobrenome;

Colocar batata frita no cachorro quente;

Comer cachorro quente de madrugada no AU- AU nos finais de semana;

Colocar panela com álcool no banheiro quando está muito frio;

Comer frango com polenta em Santa Felicidade no domingo;

Comer pinhão no inverno;

Comprar um frango assado, uma garrafa de coca-cola e a Gazeta no domingo;

Convidar: "Passa lá em casa", mas nunca dá o endereço;

Cumprimentar uma pessoa todo dia de manhã com um beijinho no rosto:


Demorar muito para arrancar o carro quando o sinal fica verde;

Descer para as praias (Caiobá e Guaratuba) se aparecer meio-sol ;

Descer para Paranaguá de trem pela centésima vez, com a mesma cara de deslumbrado;

Distribuir nas esquinas panfletos com propaganda de amortecedores;

Dizer Bolacha em vez de Biscoito;

Dizer eu não dormi com você hoje;

Dizer que a cidade não é mais a mesma por causa da invasão do pessoal de outros estados;

Dizer que mora no Champagnat sendo que no mapa é Bigorrilho;

Dizer que mora no Ecoville sendo que no mapa é Mossunguê;

Dizer que mora no Jardim Schaffer sendo que no mapa é Bom Retiro ou Pilarzinho;

Dizer que para a cidade ser perfeita só falta ter praia.


Entrar no elevador do prédio onde mora e não cumprimentar ninguém;

Esperar a semana inteira pelo final de semana... e acabar não fazendo nada no mesmo!;

Esperar por neve todo inverno;


Falar bexiga ao invés de balão;

Falar para todo mundo que o curitibano é um povo fechado;

Falar que vai "pra praia", sem especificar qual praia;

Falar sobre a condição do tempo para puxar conversa com alguém;

Falar: "Pára piá!!" "Daí, guria...";

Fazer salada de feijão-cavalo para acompanhar o churrasco;

Ficar a " temporada" em Caiobá ou Guaratuba mesmo que chova muito mais do que faça sol;


Intercalar o "NÉ" a cada três ou quatro palavras de uma frase. É uma boa maneira para parar e pensar no que vai dizer depois , NÉ?;

Ir à feirinha aos domingos para escutar os cantores de rua e passear entre as tendas e não comprar nada;

Ir ao Shopping quando chove nas tardes de sábado;

Ir para Guaratuba e virar nativo;

Ir para Praia nos feriados curtindo mais o engarrafamento da viagem do que a praia;


Jogar ovo nos colegas ao final do ano escolar;


Lavar e polir seu carro no sábado (o carro fica brilhando), só que toda vez que vai passear......CHOVE!!!!;

Levar a família inteira para assistir ao show de natal no prédio do HSBC todo santo ano;


Manter as janelas do ônibus fechadas, independente se o dia está frio, chuvoso ou aquele sol;

Marcar para sair depois da "janta" no lugar de depois do "jantar";


Não passar no meio das praças com medo de ser assaltado;


Parar atrás de táxi que está desembarcando passageiro e ficar buzinando;

Parar na Rua XV para escutar o conjunto de musica latina ou então ficar mais de duas horas para ver o homem que pula entre as facas e ele não pular;

Passar o dia reclamando do frio, mesmo com o maior calor;

Pegar o mesmo ônibus todo santo dia no mesmo horário e não cumprimentar nem motorista nem cobrador (que também sempre são os mesmos);

Perguntar "Sobe?" quando já não tem piso pra descer no elevador;

Por a calça do pijama dentro da meia e usar pantufa e não chinelo;


Quando aparece qualquer solzinho, sair de casa com um shortinho e regata mesmo estando um frio de rachar;

Querer entrar no ligeirinho ou bi-articulado no mesmo instante em que o povo está saindo;


Receber visita na cozinha pois lá é mais aconchegante.

Reclamar do trânsito o tempo inteiro;

Reparar nas pessoas como se fossem de outro planeta;


Sair agasalhado no calor, e desagasalhado no frio, pois o tempo é muito doido;

Sair de casa com um baita SOL e voltar com um tempo nublado;

Sair de fininho quando alguém pergunta "Que horas são?" achando que é ladrão;

Sair todo agasalhado de manhã, e tirar quase tudo até o final do dia;

Separar o "lixo que não é lixo";

Subir no elevador e ficar olhando para frente sem nem se mexer para não parecer mal educado;


Ter esperança que vai fazer aquele sol no final de semana;

Tomar café na Boca Maldita;

Tomar chopp "Lá no Pasquale", no Passeio Público, nas manhãs de sábado;

Tomar quentão com gemada no inverno;

Tomar submarino no bar do Alemão;

Tomar uma cerveja nos bares do Parque Barigui no domingo à tarde;


Usar casaco de pele para ir ao Guaíra, mesmo não estando um frio polar;

Usar óculos escuros sem precisar do verão para isso;


Visitar São Paulo e dizer: Jamais moraria aqui;

Viver repetindo que é "coisa de Curitibano".


Parabéns Curitiba! 329 anos!!


609 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Frigidaire

Essencial