Polaca

06 de Agosto, dia de muita festa em minha cidade natal. Dia do Senhor Bom Jesus da Cana Verde, padroeiro de Siqueira Campos. Dia de muita gente, muitos ônibus, muitos romeiros, muita agitação. A cidade se transforma.


Gostava de ir à festa quando eu ia. Confesso entretanto, que preferia quando Siqueira Campos era apenas Siqueira.


Se Rita Lee é a mais completa tradução de São Paulo, Rosângela Galvão é a perfeita tradução da Siqueira que eu vivi.


Minhas férias escolares tinham sempre o mesmo destino: Siqueira Campos. Eram semanas cheias de liberdade, passeios, encontros, festas, gincanas e muitas atividades.


Apesar de estar numa pequena cidade do interior, sempre havia o que fazer. Lá eu era amigo do rei, ou melhor, lá eu era o primo da Rosangela.


Nem Catarina em Pádua, nem Maria Bonita no sertão ou Mônica na sua rua, tinham mais amigos, influência e poder que Rosangela Galvao tinha em Siqueira Campos.


Ser primo da Polaca, além da participação em uma maratona diária sem fim, significava ter as portas da cidade abertas pra mim.


Compromissos não faltavam, faltava fôlego pra acompanhá-la. À tarde, ìamos caminhando, sempre em grupo, em direção ao CRAI - Clube Recreativo Arco Iris, o country Club da cidade. .


Pelo longo caminho, lá ia ela cumprimentando a todos, desde os mais humildes até os mais abonados. Podia ser candidata a vereadora ou prefeita. Ganharia no primeiro turno.


Lembro de um ano em que a banda da escola se preparava pro desfile de Sete de Setembro. O general da banda, o professor Ozires, em sua homenagem, batizou um dos toques mais rápidos, enérgicos e agitados dos repiques com o seu nome. Escutava de longe ele gritando: Agora entra o Rosangela! Vamos lá!


E ela ajudava todo mundo na cidade e óbvio, não esquecia dos mais próximos. Uma vez soube que deixou uma de suas amigas, que não queria estudar, trancada em casa à tarde toda, liberando somente depois da infeliz provar que já sabia toda a matéria da prova.


Recordo que quando as férias já tinham acabado e estava longe, com alguma coisa me incomodando, pensava, sozinho, tudo bem, pelo menos sei que lá longe, eu tenho uma prima, uma amiga muito especial.


Naquela época, sem se dar conta, seu futuro já tava sendo traçado. Seu trabalho: Cuidar das pessoas. Tornou-se uma excelente enfermeira, ou melhor, uma verdadeira líder na área da enfermagem. Senhor Bom Jesus deve sentir muito orgulho desta grande filha da antiga Colonia Mineira.


61 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

A Peleja

Bilhetes