Na Calada da Noite

Toda manhã ao passar pelo Parque Barigui, admirava estes simpáticos moradores e pensava: como são calmos, sonolentos e pacíficos.


Ah, a ignorância e o desconhecimento, do que são capazes... Um dia, passei a entender o porquê daquela calmaria toda, mesmo com tanta gente indo e vindo ao redor deles, ficavam ali, alheios a tudo.


Certa vez, passei pelo parque às três da madrugada e algo muito estranho e inesperado ocorreu. Os nobres senhores, num ataque de fúria, vieram correndo em direção ao meu carro, como gárgulas ensandecidas, numa cena que faria o Cão dos Baskervilles se sentir um guapeca indefeso.


O carro foi passando e eles correndo ao lado, como se tivessem de vingar uma calúnia muito grave. Entendi porque eram tão alheios e inertes durante o dia. Ou faziam isso todas as noites e ficavam exaustos ou eram versões do Médico e o Monstro ou da Bela e a Fera ou qualquer outra coisa que mude a personalidade à luz do luar ou da magia.


Uma pena, já faz algum tempo que não os vejo mais por lá...


212 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Frigidaire

Essencial