Maria Alice T01 C01-03

Os dias passavam com suavidade na vida de Maria Alice. As aulas no curso de Direito não a empolgavam, mas o que ela não fazia pra ver seu pai contente? O sonho dele era ter uma filha diplomada, e no final das contas, aquilo tudo não era tão ruim assim, como ela imaginava que seria.


O que Maria Alice gostava mesmo, era do seu trabalho na agência de publicidade. As horas que passava lá, à tarde, envolta com gente antenada, na criação dos reclames, de longe, eram as suas preferidas.


Viver na Curitiba daquela época a fascinava. Os cinemas, a vida cultural, o ambiente profissional e, porque não dizer, a atmosfera acadêmica, combinavam com aquilo que julgava importante em sua vida.


Sua tão esperada formatura foi mais importante pro seu pai, que pra ela. Ter o canudo na mão, significava que além de doutora e do compromisso cumprido, ela estaria livre pra viver aquilo que gostava e realmente tinha interesse: a publicidade.


Quando tudo finalmente parecia estar caminhando como sempre sonhou, a receita da felicidade desandou. A morte inesperada e repentina do seu pai virou a sua e a vida de sua família de cabeça pra baixo.


Diante dos acontecimentos, sua mãe encasquetou em voltar pra cidade natal dela, no interior do Rio Grande do Sul. Maria Alice e o irmão menor, faziam parte daquilo que sua mãe queria, porque queria, levar com ela, pro velho e distante oeste.


Como vai nos deixar? Perguntou seu chefe na agência. Essa era sua realidade e sua sentença. Mesmo tentando negociar com sua mãe e pedindo por misericórdia, à sua tia que permitisse que a deixasse morar com ela, pra que não tivesse que deixar Curitiba, e a vida que levava, não teve jeito, Maria Alice teve que partir pros pampas gaúchos.


Uma minúscula cidade, quase perdida no meio do nada, seria onde, a partir daquele momento, sua mãe, seu irmão mais novo e ela, com todos seus sonhos empacotados, teriam que aprender a reconstruir suas vidas.


Continua…


76 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Frigidaire

Essencial