A Moral

Lembro que a conheci na loja Mazer, ao lado de onde é o Paço da Liberdade. Eu era criança e havia uma cantinho na loja, com uma televisão e pequenas mesas com gis de cera e papel, destinado ao público infantil.


Escrita originalmente por La Fontaine, está presente em Fábulas, livro infantil escrito por Monteiro Lobato, de 1922. Como disse, assisti ao filminho naquela televisão, nunca mais esqueci e reescrevo aqui:


Naqueles dias, um velho resolveu vender seu burro na feira e chamou seu neto pra acompanhá-lo. Montaram no animal e seguiram viagem.


Ao passarem por um vilarejo, escutaram comentários: como pode! Duas pessoas em cima do pobre animal...


Resolveram então que o menino deveria descer e o velho permaneceria montado. E assim prosseguiram.


Mais à frente, ao passar por uma lagoa, algumas velhas que lavavam roupas, viram a cena e puseram-se a reclamar: que absurdo! Explorando a pobre criança, podendo deixá-la em cima do animal...


Constrangidos com o ocorrido, trocaram as posições, o menino montou e o velho desceu do burro.


Tinham caminhado algumas léguas, quando algumas jovens sentadas na calçada se espantaram com o que presenciavam: mas que menino preguiçoso! Enquanto o pobre senhor caminha, ele fica todo fardola em cima do animal. Tenha vergonha...


Diante disso, o menino desceu e desta vez o velho não subiu. Ambos resolveram caminhar, puxando o burro.


Acreditavam ter encontrado a forma correta, até que quando passaram em frente a um bar, alguns homens que ali estavam começaram a gargalhar, fazendo troça da cena: são mesmo dois idiotas! Ficam andando a pé, enquanto puxam um animal tão forte...


O avô e o neto olharam um pro outro, como que tentando encontrar a maneira correta de agir.


Então, ambos pegaram o burro e o carregaram nas costas.


Moral: não devemos dar muita atenção às críticas que recebemos. Elas acontecerão sempre, independente de como procurarmos agir.


167 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Frigidaire

Essencial