A Casa do Batel

Atualizado: 28 de jul. de 2021

Em 2016 o Bosque da Casa Gomm passou a se chamar Parque Gomm, deixando de correr o risco de virar uma rua, pra virar o primeiro Parque Comunitário de Curitiba.


Em 2013, um movimento em defesa do local nasceu contra o anúncio de que parte do bosque seria derrubada pra dar lugar à continuação da Rua Hermes Fontes.


Em 2000, a Casa Gomm foi toda desmontada e transferida pro final do imenso terreno, pra dar espaço à construção de um enorme shopping.

Em 1994, o local foi escolhido pra estreia da Casa Cor Paraná. Conhecida na época como Casa do Batel, o palacete pertenceu à família Gomm, cujo patriarca, Harry Herbert Gomm, que a construiu, foi Embaixador da Inglaterra.


Em 1989, a Casa Gomm foi tombada, o que impediu seu desmonte, mas não a sua transferência pro fundo do terreno, com acesso pela rua Hermes Fontes.


Na década de 80, o terreno e a casa haviam sido adquiridos dos herdeiros do inglês Henrique Gomm, que negociava a compra de erva-mate em Curitiba e tinha uma empresa em Antonina.


Na década de 50, a frequência de estrangeiros era tão grande na casa, que surgiu até uma canção francesa intitulada Monsieur Le Consul à Curityba, baseada em visitas ao local.


Nos anos 30/40, a Casa Gomm já tinha se tornado popular na cidade, quando o filho do casal, passou a morar na residência com sua mulher.


Na década de 1910, a casa da família Gomm foi construída pra ser um símbolo de modernidade na cidade.


Em 2021, graças à lei, a Casa Gomm continua em pé. O que sobrou do bosque ainda vive, porque ainda há gente que sabe que somos animais como outro qualquer, que somos os únicos que destroem o planeta, que somos dependentes da natureza e a defenderam, porque ela tá, atenta, cobrando com juros e correção monetária, tudo o que roubamos dela.


144 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Frigidaire

Essencial