Álbuns

Parece que não, mas houve um tempo em que as pessoas saiam de casa e quando viajavam e gostavam muito de alguma coisa, registravam aquele momento, tirando fotos.


Elas eram poucas e valiosas. Os filmes, caros e limitados e a revelação, mais cara ainda e feita somente depois da viagem.


Devido à demora, o dia em que elas ficavam prontas, era um grande acontecimento. Ficava-se muito feliz por reviver os momentos da captura das fotos e muito frustrado quando elas se revelavam tremidas, escuras ou simplesmente desapareciam. Refazê-las seria impossível.


A próxima etapa era separar o joio do trigo, escondendo ou até rasgando aquelas mais ingratas, que ocultavam nossa real beleza.


Marcava-se uma ou várias reuniões pra que as fotos pudessem ser vistas, admiradas e comentadas.


As pessoas naquela época, também costumavam se visitar. Iam umas à casa das outras, às vezes até sem avisar. Simplesmente apareciam do nada...


No encontro, a sequência dos álbuns permitia reviver a viagem. Histórias sobre as fotos eram contadas e compartilhadas.


Quando se tinha tempo e coragem, era possível até brincar com fotos rejeitadas, tíquetes, folhetos, embalagens e lembranças trazidas da viagem, fazendo colagens na capa dos álbuns, que eram passados de mão em mão, junto à xícaras de café, copos de refrigerantes ou taças de vinho.


Penso que não era melhor nem pior do que agora, era apenas diferente. De um jeito que não volta mais...


34 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Frigidaire

Essencial